Ensaios

Importa-se de me emprestar o barroco? Autor: Abel Barros Baptista, Gustavo Rubim

9.00

CONTACTE-NOS










    Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório

    Primeira obra de ficção de dois autores já conhecidos dos leitores mais atentos: professores universitários especializados em literatura de língua portuguesa, tanto Abel Barros Baptista como Gustavo Rubim têm diversos trabalhos críticos e ensaísticos publicados e são sobejamente conhecidos nas suas áreas de trabalho. Importa-se de me emprestar o barroco contém tanto de paródia ao mundo universitário quanto de ensaio literário e antologia de poemas. Escrito num estilo peculiar, bem-disposto e tão intrincado que desafia até o mais atento leitor de policiais, Importa-se de me emprestar o barroco? questiona brilhantemente algumas ideias dilectas do mundo académico, seja a de reescrita (plágio, intertextualidade) – essa ‘paixão que inferniza os vivos com uma caterva de mortos’ – seja o quase saturado tema do ‘carpe diem’ (a emergência do corpo na poesia?)
    Imprensa
    “É um ensaio (com excursos por Thomas Mann, Barthes ou Walter Benjamin) composto por dois brilhantes ensaístas, numa escrita fragmentária que se dedica à problematização da narração (um texto questiona sempre o anterior), da efabulação (conceito essencial no pós-modernismo), da autoria (quer dizer, da autoridade), e da ficção (se é que tudo não é ficção). Mas este é também um livro divertido – que traduz «carpe diem» por «curtir o dia», por exemplo.” Pedro Mexia, Diário de Notícias
    Partilhe
    Categorias: ,