GENTE DE PORTUGAL. Sua Linguagem — Seus Costumes.

180.00

Descrição

COSTA (Alexandre de Carvalho).— GENTE DE PORTUGAL. Sua Linguagem — Seus Costumes. Edição da Assembleia Distrital de Portalegre.  1981 – 1985. 16,5×24 cm. 6 vols. B.

“Esquecendo os meus fracos recursos nos domínios linguísticos e induzido por um convívio literário de longa data que a sua benignidade tornou cordial, o Dr. Alexandre de Carvalho Costa pede-me duas linhas introdutórias para o trabalho em elaboração — Gente de Portugal — Sua Linguagem — Seus Costumes, que, acertadamente, vai tornar público. Como se este abalizado Mestre que com persistência beneditina se dedica a estudos para prestígio da Língua Portuguesa, necessitasse ser apresentado por um medíocre caloiro de Etnografia! (…)” — retirado de Duas Linhas Introdutórias da autoria do etnógrafo Guilherme Felgueiras.

Importante e inestimável trabalho de recolha e estudo de expressões populares com a sua respectiva explicação e integração na vida do povo português.

O Volume I, vem dividido em três tomos, impressos por ordem alfabética: Tomo I – (A-D); Tomo II – (E-L); Tomo III- (M-X), Com um texto introdutório à obra da autoria de Guilherme Felgueiras. O volume II, tem um intróito do Prof. Manuel Joaquim Delgado; O volume III tem Duas Palavras, do Prof. José Gomes Brás (Reis Brasil); o IV volume tem um texto introdutório com o título de Vox Populi (A Voz do Povo) pelo Dr. Paulo Caratão Soromenho.

Algumas das expressões que se podem encontrar  explicação e justificação: Acertar as agulhas; Adoçar a boca; Aguenta que é serviço; Albardar o burro à vontade do dono; Cabeça de alho chocho; Cada um sabe as linhas com que se cose; Cheirar a esturro; Dar barraca; Custar os olhos da cara; Deitar poeira nos olhos; Duro com duro não faz bom muro; Tocar na corda sensível; Uns comem figos e a outros arrebenta-lhes a boca; etc.

Publicação de provável pequena tiragem e, por isso mesmo, de raro aparecimento no mercado alfarrabista.

 



Produtos exclusivos

Categoria especial de produtos